top of page

Fortalecimento dos Territórios é tema da 5ª Formação da Comissão Articuladora do Quipea

Leandro Sacramento (Pel), educador popular

No dia 6 de abril de 2024, a Comissão Articuladora do Quipea participou de uma formação sobre fortalecimento dos territórios quilombolas a partir da educação popular e do trabalho de base, em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro. A atividade contou com a presença de 33 representantes comunitários, representantes da equipe executora, da Shell e do Ibama, de forma virtual. A formação foi ministrada pelo biólogo e educador popular Leandro Sacramento, o Pel.


Na primeira parte da formação, o educador dividiu os participantes em grupos para conversarem sobre o tema da formação. Na exposição dessas discussões, os relatos dos participantes trouxeram elementos importantes que se relacionam com o tema, tais como: importância da linguagem simples e objetiva; oralidade; griôs; saberes tradicionais e empoderamento; autorreconhecimento, entre outros.


Após exposição, Pel reuniu os exemplos apresentados e comentou sobre as possibilidades de organização dos comunitários, o papel das lideranças, a relação do trabalho de base com a democracia e a importância da formação política para a luta por direitos e dignidade. Segundo ele, “a luta popular articula a ação de dar o peixe para quem tem fome, de ensinar a pescar para quem precisa sair da dependência e de elaborar estratégias para tomar de volta os rios que se tornaram propriedade privada.”



Grupos da Comissão Articuladora do Quipea e equipe executora conversam sobre o tema da formação

 

Na segunda parte da formação, foi possível conversar sobre as diversas funções exercidas em reuniões de colegiados e sua relação com a educação popular: a importância da coordenação, do secretariado, da relatoria e de sua divulgação. O educador ressaltou algumas estratégias de cuidado com as bases, para que as reuniões de um coletivo consigam alcançar seu objetivo, como o exercício da empatia, do companheirismo, da escuta atenta, da realização de dinâmicas para acolher e fazer todos se sentirem mais confortáveis (as "místicas”), entre outras.



Apresentação de elementos da Educação Popular e do Trabalho de Base

 

Na sequência, o consultor apresentou exemplos de controle social exercido pelo Estado sobre a população e como também os cidadãos podem fazer este controle social sobre o próprio Estado, a partir do acompanhamento atento às políticas públicas. Foram citados exemplos desse exercício de cidadania, como a participação em conselhos municipais, de saúde, educação, meio ambiente; e em órgãos colegiados de projetos de educação ambiental, como a própria Comissão Articuladora, ao participar do Quipea.


A formação foi encerrada com a apresentação de fotos e de vídeo do projeto Observatório Social dos Royalties, que integra o Programa de Educação Ambiental com Comunidades Costeiras (PEAC), realizado no município de Pirambu, Sergipe. O vídeo mostrou a trajetória do projeto e suas estratégias de mobilização e organização comunitária para buscar uma utilização justa dos royalties no município, o que foi muito bem recebido pelos presentes.


A formação da Comissão Articuladora do Quipea é uma das atividades que integra um dos objetivos específicos da Fase 4, que trata da preparação das comunidades a enfrentarem os impactos socioambientais diretos e indiretos da cadeia do petróleo e gás natural.

 



Roda de atividade corporal antes do início da segunda parte da formação em Campos dos Goytacazes – RJ


Comments


shell@300x-8.png

OPERADOR:

ÓRGÃO LICENCIADOR:

A realização do Quipea é uma medida mitigadora exigida pelo Licenciamento Ambiental Federal conduzido pelo IBAMA.

logo_quipea_final.png
bottom of page