top of page

Impactos Socioambientais foram tema de formação on-line da Comissão Articuladora

Em 15 de outubro foi realizada a segunda formação da Comissão Articuladora das comunidades quilombolas do Quipea da Fase 4, em formato remoto, pelo aplicativo Zoom. Estiveram presentes na plataforma on-line 48 pessoas, sendo: 21 representantes da Comissão Articuladora, 26 integrantes da equipe executora do projeto e 1 representante do Ibama. O encontro teve como tema Impactos Socioambientais da indústria de petróleo e gás nas Comunidades Quilombolas.

O encontro teve como finalidade contribuir para uma maior compreensão sobre o conceito de Impacto Socioambiental e estimular a reflexão sobre como os impactos da indústria de petróleo afetam a vida das 21 comunidades que fazem parte do Quipea.

A reunião foi mediada por Marcela Siqueira, coordenadora pedagógica do Quipea, e Frederico Loureiro, consultor pedagógico do projeto. E contou a todo tempo com as importantes contribuições das educadoras socioambientais do projeto.

A partir da apresentação de reportagens que tratavam de problemas socioambientais na região da Bacia de Campos, os participantes resgataram os Impactos Socioambientais identificados pelas comunidades quilombolas durante as atividades preparatórias ao III Encontro Regional das Comunidades Quilombolas do Quipea, em 2021. A troca de saberes foi produtiva e repleta de exemplos relacionados ao enfrentamento diário da população quilombola frente às mudanças do uso e ocupação do solo em suas localidades. Brenda Andrade, representante de Botafogo (Cabo Frio – RJ), citou a pressão imobiliária trazida com o crescimento urbano nos arredores de seu município, acarretando o aumento do valor das casas no ambiente rural. Betânia de Souza, de Boa Esperança (Presidente Kennedy - ES), trouxe a questão da desvalorização das atividades agrícolas, que pressiona mulheres e homens do campo a buscarem empregos nas áreas urbanas, mesmo que temporariamente. Da comunidade da Rasa (Búzios - RJ), Selma Gonçalves acrescentou ao debate sua preocupação enquanto pescadora, uma vez que observa que muitas espécies de mariscos não são mais encontradas nos locais utilizados para a pesca, como o Mangue de Pedra.


Representantes da Comissão Articuladora do Quipea e equipe executora no encontro de 15 de outubro


Anderson Vicente, representante do IBAMA, também trouxe grandes contribuições para o encontro. Destacou mais uma vez o importante papel dos Projetos de Educação Ambiental (PEAs) na mitigação dos impactos. E relembrou que o Quipea, assim como outros projetos de educação ambiental da Linha A (Nota Técnica CGPEG/DILIC/IBAMA n° 01/10), tem como objetivo contribuir com a organização comunitária para a participação na gestão ambiental, no âmbito do licenciamento ambiental.

Os representantes da Comissão Articuladora avaliaram de forma satisfatória a realização da formação, e se mostraram entusiasmados para os próximos encontros. O tema da próxima atividade terá foco na mitigação dos impactos ambientais, quando serão apresentados os projetos condicionantes necessários ao licenciamento das empresas de petróleo e gás.


Frederico Loureiro apresenta os Impactos Socioambientais

Comments


shell@300x-8.png

OPERADOR:

ÓRGÃO LICENCIADOR:

A realização do Quipea é uma medida mitigadora exigida pelo Licenciamento Ambiental Federal conduzido pelo IBAMA.

logo_quipea_final.png
bottom of page