PROJETOS DE BASE COMUNITÁRIA

20190830_etapa_4_projetos_base_comunitar
20190830_etapa_4_projetos_base_comunitar

press to zoom
WhatsApp Image 2019-09-10 at 15.20.03
WhatsApp Image 2019-09-10 at 15.20.03

press to zoom
190831_oficina_projeto_base_comunitaria_
190831_oficina_projeto_base_comunitaria_

press to zoom
20190830_etapa_4_projetos_base_comunitar
20190830_etapa_4_projetos_base_comunitar

press to zoom
1/3

Demanda das próprias comunidades quilombolas, registrada na Agenda Socioambiental do Quipea e incorporada no Plano de Trabalho da Fase 3, os Projetos de Base Comunitária representaram objetivos coletivos e a busca pelo fortalecimento da organização comunitária. Agroecologia, melhorias na estrutura das sedes das Associações, oficinas de trocas de saberes quilombolas, geração de renda, esporte e cultura foram os principais temas escolhidos pelas comunidades.

Vejam a seguir uma breve retrospectiva de tudo que aconteceu até a realização dos projetos nas comunidades:

A atividade teve início em 2018, quando a equipe analisou atentamente os resultados dos projetos realizados na fase anterior pelas comunidades. Esse olhar avaliativo, que é fundamental para os Projetos de Educação Ambiental, permitiu que a partir destes aprendizados fossem planejadas cuidadosamente todas as etapas para a implementação dos projetos. 

Em 2019 foram realizadas reuniões nas 21 comunidades quilombolas para escolha participativa dos temas dos projetos e a formação de grupos de trabalho comunitários responsáveis pela elaboração dos projetos, compostos, em sua maioria, pelas lideranças das Associações Quilombolas, apoiadores locais, representantes da Comissão Articuladora e comunitários que participaram do Curso de Formação em Elaboração de Projetos. Nesse momento, também foram realizadas duas Oficinas Regionais, para auxiliar os grupos na estruturação das futuras ações.

 

Os grupos de trabalho foram os responsáveis por colocar no papel os desejos e ideias coletivas das comunidades e em 2020, após a estruturação dos 19 projetos, foram realizadas reuniões de devolutivas com as comunidades para aprovação dos projetos e de seus orçamentos pelos comunitários. 

Após a aprovação dos projetos, iniciaram as aquisições dos produtos e serviços necessários para a realização dos 19 Projetos de Base Comunitária. Esta etapa iniciou-se em agosto de 2020 encerrou-se em julho de 2021 e por conta da pandemia, foi realizada totalmente em formato remoto.

 

 

Se os desafios e obstáculos dos projetos já eram esperados, a pandemia da Covid-19 elevou as dificuldades para um patamar bem acima. No entanto, não foram suficientes para frear a busca das comunidades por seus objetivos. Os projetos foram adiante tomando todos os cuidados necessários para a garantia da saúde e segurança dos participantes: sem promover aglomerações, com o distanciamento social e o uso de máscaras e álcool gel, além da realização de atividades remotas, como por exemplo, as reuniões de devolutivas.

 

 

A atividade de elaboração e Implementação dos Projetos de Base Comunitária foi concluída durante os meses de novembro e dezembro de 2021, com a avaliação final dos 19 projetos realizados nas comunidades quilombolas. Foi aplicado um questionário aos membros dos grupos de trabalho das comunidades, obtendo um total de 139 respostas nas 21 comunidades. Como resultado da avaliação, foi destacado que o processo de elaboração e implementação dos projetos contou com o envolvimento e engajamento dos comunitários e promoveu a troca de conhecimentos e maior organização das comunidades para as decisões, fortalecendo os processos coletivos. Também foi sinalizada a importância dos aprendizados gerados em relação ao gerenciamento do orçamento do projeto e a superação de desafios, como por exemplo as limitações tecnológicas, além da própria pandemia.

 

Mais uma vez, as comunidades quilombolas mostraram sua capacidade de superação, enfrentando desafios e entregando projetos que contribuem para o fortalecimento das organizações quilombolas e representam a concretização de desejos coletivos nos territórios.

 

 

*Algumas atividades que envolvem oficinas presenciais ainda aguardam a normalização das condições sanitárias para sua realização.

Conheça os projetos que serão desenvolvidos nas comunidades:

ARARUAMA/RJ

Sobara

Fortalecendo a organização comunitária e cultural de Sobara – Promoção do fortalecimento comunitário com a realização de atividades culturais.

CABO FRIO/RJ

Maria Romana

Incentivo à prática de atividades esportivas, além de promover um espaço de apoio à educação, cultura e lazer, agregando maior qualidade de vida à comunidade.

Preto Forro

Fortalecimento da organização comunitária com apoio da Associação do Quilombo de Preto Forro, promovendo a realização de atividades culturais e de associativismo.

Botafogo

Resgate da cultura e fortalecimento da Associação – Fortalecimento cultura local e da organização comunitária, com apresentações musicais do grupo “Raízes”.

Maria Joaquina

Fortalecimento da organização comunitária com a estruturação física da Associação local, dando condições mais adequadas para realização de reuniões e eventos.

 

ARMAÇÃO DOS BÚZIOS/RJ

Rasa

Retalhos da Rasa – Promoção da organização comunitária, fomentando a geração de renda de mulheres quilombolas.

Baía Formosa

Costurarte – Fortalecimento da organização comunitária e promoção da geração de renda.

QUISSAMÃ/RJ

Bacurau

Cisternas Comunitárias – Promoção de melhorias na qualidade de vida da comunidade com a construção de cisternas comunitárias para armazenamento de água potável, minimizando os impactos da falta do recurso.

Boa Vista

Artes dos saberes Quilombola - Contribuição para o resgate da cultura, promovendo a tradição local, a partir da reestruturação do centro comunitário e a realização de oficinas de culinária e artesanato quilombola.

Machadinha

Horta Comunitária - Promoção da agroecologia e segurança alimentar com a criação da horta comunitária de Machadinha.

Mutum

Sabor e Saber da Comunidade de Mutum - Valorização da gastronomia quilombola com oficinas e a confecção de um livro. Destaque para a criação do grupo produtivo de mulheres quilombolas.

 

Santa Luzia

Estruturação do Salão Comunitário – Fortalecimento da organização comunitária com a estruturação do salão comunitário para receber oficinas, reuniões e atividades coletivas.

 

CAMPOS DOS GOYTACAZES/RJ

Aleluia, Batatal e Cambucá

Padaria Artesanal - Construção da Padaria Artesanal, com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável das comunidades, valorizando a agricultura familiar quilombola, além da geração de emprego e renda.

Conceição do Imbé

Reestruturação do espaço comunitário - Promoção da organização comunitária e o fortalecimento da identidade local, com a reestruturação do galpão comunitário.

SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA/RJ

Barrinha

Gingado da Barrinha - Fortalecimento da cultura quilombola local com oficinas de jongo e capoeira.

Deserto Feliz

Fortalecimento da atividade esportiva, futebol em Deserto Feliz.

 

PRESIDENTE KENNEDY/ES

Boa Esperança

Tambores do Quilombo: resgate e preservação da cultura quilombola. Valorização dos saberes tradicionais da comunidade, voltado para o público jovem, com a realização de oficinas de Jongo e Capoeira.

Cacimbinha

Histórias na Rede: Oficinas de futebol para crianças e jovens da comunidade, com objetivo de contribuir no desenvolvimento cultural e físico das crianças e estimular o trabalho em equipe e a valorização da história da comunidade.

ITAPEMIRIM/ES

Graúna

Esporte em Ação: Oficinas de futebol e capoeira - Promoção da integração comunitária por intermédio do esporte e da cultura local.

shell@300x-8.png

OPERADOR:

ÓRGÃO LICENCIADOR:

A realização do Quipea é uma medida mitigadora exigida pelo Licenciamento Ambiental Federal conduzido pelo IBAMA.

logo_quipea_final.png